Os antigos ensinavam que ter o entendimento de si mesmo equivalia a ter o entendimento de Deus, e que pelo processo de meditação nos é dados o poder de liberar a Energia Divina de dentro de nós e de transmutar a discórdia em harmonia, a ignorância em sabedoria, o medo em amor e a falta em abundância. Os iniciados eram treinados para conceber a mais alta visão com seu Verdadeiro Mestre Interior – a Fonte de Tudo.


Estudantes dos sagrados mistérios eram, também, instruídos quanto ao uso do inato poder irradiante e magnético no exercício do domínio de si. Por meio do trabalho com a rítmica energia proveniente do Eu Superior, qualquer tipo de bem que fosse necessário para se efetuar uma troca era tido como um instrumento da boa vontade superior, assim como o dinheiro, que nada mais era que um simples sinal da apreciação pelo serviço de alguém, ou mesmo um símbolo de amor e integridade.

Sem entrarmos muito no mérito da questão, um ensinamento, em particular, permaneceu constante durante o processo de iniciático: mente e emoções personificando amor, gentileza e paz eliminam a limitação, de modo que a consciência de um estado pacífico e inofensivo liberte o indivíduo do cativeiro e das restrições do pensamento da raça humana.

Algumas Mensagens:

O homem nasceu para ser rico, ou crescer rico pelo uso de suas faculdades, pela união do pensamento com a natureza. (Emerson)


O que precisamos entender, acima de todas as coisas, é que Deus tem provido nossas maiores necessidades a cada minuto de nossa vida diária e que, se experimentamos falta de qualquer coisa, é porque não temos usado nossas mentes para fazer o contato correto com a supermente e com o raio cósmico que automaticamente flui do que nos falta. (Prosperity, de Charles Filmore.).


As riquezas do mundo têm sido temidas, desprezadas, condenadas e mesmo odiadas pelos aspirantes espirituais por causa da ignorância de como estar nelas sem “ser” delas, de como possuí-las sem “ser possuído” por elas. Sem dúvida, a atitude de repudiar e ignorar a riqueza é menos enganadora que o outro erro, o da ganância, da adoração ao dinheiro e o medo de perdê-lo, mas o verdadeiro sábio evita ambas as atitudes por saber que as riquezas do mundo são apenas um reflexo da existência real, que as riquezas espirituais precisam ser vistas primeiro, por último e para sempre. Tendo encontrado as riquezas do céu, você não pode escapar das riquezas da terra a menos que as repudie. (Both Richies and Honor, de Annie Rix Militz.)

Prosperidade é a manifestação da substância em nossos negócios. Tudo no Universo é para nós. Nada é contra nós. A vida sempre dá de Si Mesma. Nós precisamos apenas receber, utilizar e estender a dádiva. Sucesso e prosperidade são atributos espirituais pertencentes a todas as pessoas, mas não necessariamente usados por todas elas. (Science of Mind, de Ernest Holmes)

Deus é o doador e a dádiva; o homem, o recebedor. Deus vive no homem, e isso significa que a casa do tesouro, das riquezas infinitas, está dentro de você e totalmente à sua volta. Aprendendo as lei da mente você pode extrair desse depósito que está dentro de você tudo o que precisa para viver a vida gloriosa, alegre e abundantemente. (Your infinite Power to Be Rich, de Joseph Murphy.)

Recuse-se a tolerar qualquer coisa que seja menos do que harmonia. Você pode ter prosperidade, não importa quais sejam suas circunstâncias presentes. O homem tem domínio sobre todas as coisas quando conhece a Lei Superior e obedece a ela. A Lei dá a você o poder de alcançar prosperidade e posição sem infringir os direitos e oportunidades de alguém mais neste mundo. (Alter Your Life, de Emmet Fox).

JOHN RANDALPH PRICE