A FÉ QUE REMOVE MONTANHAS



COMECE POR DUVIDAR

Se realmente existe a força todo-poderosa que remove montanhas, cura doenças, realiza
milagres e tudo alcança, então é urgente comunicar essa notícia a toda a humanidade.
Se de fato existe esta fé, que torna possível até mesmo o impossível, não há razão para as
pessoas se debaterem em fracassos, angústias, sofrimentos e desgraças.
Jesus, considerado o maior sábio que pisou este planeta, profundo conhecedor do ser humano,
afirmou, com todas as letras, que qualquer pessoa TUDO pode.
 Como se trata de um personagem universalmente conceituado, nada mais inteligente do que queimar pestanas em cima das suas afirmações arrojadíssimas e estudar cientificamente os princípios ou a lei em que se baseia o Mestre para difundir a mais inacreditável descoberta humana.
Está você disposto a entrar fundo nessa questão para ver se é verdade que existe esta força irresistível ou se não passa de retórica de efeito?

DESAFIO PARA SI


Sei que você gosta de desafios e este assunto é o mais fascinante da face da terra.
De um lado, você coloca os seus problemas, os projectos que não se materializaram, os sonhos
doirados que se evaporaram, o amor que se transformou em cinzas, a doença que não encontra
cura, a casa que não se adquiriu, a felicidade que não bateu à sua porta – e, de outro lado,
contrapõe-se a revelação de Jesus, de alguns sábios e da ciência do Poder da Mente, afirmando que
você tem poder de remover qualquer dificuldade e de obter tudo o que desejar.
Nessa posição e contraposição, fica você desejoso de saber quem possui a verdade.
Pois bem, vamos ver se existe a fórmula dessa força todo-poderosa. Se existe, você já vai na
frente ao encontro da vida que pediu a Deus.
Lembre-se: a fortuna ajuda os audazes, como dizia o imperador César.
Quem sabe se neste momento está a começar a mais incrível reviravolta da sua vida.
Em frente, pois

1. NINGUÉM NEGA MAS NINGUÉM ACREDITA

Quando se fala no poder irresistível da fé, muita gente age como aquele homem que respondia
sempre: «Não acredito nem desacredito, muito pelo contrário do reverso.» «Não nego, mas não acredito» – é a atitude de multidões de pessoas que ouvem falar do fantástico poder da fé, batem palmas, mas não passam disso. Exclamam que é bom de mais para ser verdade.
A fé, para muita gente, é como fogo-de-artifício: só serve para encher os olhos.
Existem os cépticos profissionais que, quando se diz que a fé remove montanhas, confessam:
«Não conhecia essa marca de tractor.»Para muitos, a fé é como um banco que só empresta a quem conseguir provar que não precisa de dinheiro.


O CURIOSO TEM RAZÃO

Inteligente é aquele que não acredita, mas é curioso. Como você. Não nega nem acredita, mas não desiste. Faz como aquele personagem da Escolinha do Professor Raimundo, que olha firme nos olhos do interlocutor e irrompe: «Convença-me.»
É bom que você seja curioso, porque, sentado na cadeira do seu cepticismo, está disposto a ver e ouvir o que se tem a dizer sobre a fé que remove montanhas.
É provável que esteja já a pensar naquela piada em que o pregador perguntou a um ouvinte se apreciara o sermão da fé que remove montanhas e o homem respondeu de imediato:
– Gostei, mas p'ra mim não serve, porque só tenho um terreno plano.

OS PRIMEIROS PASSOS

Vamos, desde já, ver se existe essa energia estupenda, chama da fé; quem falou sobre ela; o que foi dito; qual a fórmula; se existe possibilidade de comprovação científica; as experiências que podem ser feitas.
Não quero que você diga sim a tudo. Convido-o, isso sim, a pesquisar comigo, porque, se chegarmos a descobrir que Jesus falava uma verdade científica quando disse que a fé remove montanhas,teremos feito a mais importante e benéfica descoberta para a humanidade.
Vale a pena averiguar essa afirmação.
Praticamente todas as grandes descobertas aconteceram apesar do cepticismo e da oposição do
resto dos mortais.
De qualquer maneira, já começamos com uma vantagem privilegiada: o nosso ponto de partida
é a palavra daquele que foi considerado o maior sábio que pisou este planeta: Jesus.


Postar um comentário

0 Comentários