O EXPRESSO




Se estamos a bordo deste Expresso, todos confortavelmente acomodados e desfrutando de uma viagem que é puro prazer, é porque já descobrimos algumas coisas:
Somos os exclusivos Criadores de nossa realidade! E o fazemos muito tranquilamente emitindo sinais os quais a Lei da Atração percebe e aos quais responde. Só a esses sinais a Lei responde.
A LDA não responde aos sinais emitidos por pessoas que nos cercam ou que mantém algum contato conosco ao longo do dia.
A LDA não responde a situações criadas por outras pessoas por mais agradáveis ou desagradáveis que sejam.
Se estamos a bordo é porque já aprendemos que somos os únicos emissores daquela vibração que vai ser percebida e interpretada, e que vai nos ser devolvida em termos de nossa realidade dentro de instantes.


Se optamos por vir pra bordo, seja da forma “tradicional” em uma estação, seja nas costas de um de nossos velozes e bem treinados avestruzes, é porque aprendemos que não vale a pena manter um pensamento que nos causa desconforto. Já nos demos conta que um pensamento que provoca desconforto resultará numa realidade desconfortável. Não somos bobos... gerenciamos bem direitinho aquilo que chamamos de emoções, pois já percebemos que isso é crucial em termos de Criação Intencional.


Se algo nos provoca sentimentos de satisfação, é mantido; se algo faz soar o sinal interno de “começou a fabricar merda, criatura!” redirecionamos imediatamente nosso foco emocional.


Foi-se a época em que éramos levados, conduzidos e que apenas o que se mostrava ao nosso redor determinava como deveríamos nos sentir. Se assim não fosse, estaríamos ainda fora deste Expresso lutando, disputando por recursos que, em verdade, nada têm de ilimitados.


Embarcamos neste Expresso porque sabíamos de antemão que teríamos a nossa disposição uma ampla e confortável cabine. Mas sabíamos também que tal espaço interno nos seria entregue graciosamente e que teríamos a mais absoluta liberdade de decorá-lo e de redecorá-lo como bem quiséssemos.


Hoje conduzimos o rumo de nossas vidas baseados no prazer.


Foco emocional no prazer gera uma realidade de prazer.


Há, é óbvio, quem nos olhe das margens da ferrovia, ou que esfregue a cara pelo lado de fora das nossas janelas e nos considere um bando de desocupados, de alienados, de abobados boa-vida em relação às “coisas sérias da vida”.


Enganam-se!


Sabemos perfeitamente bem como pegar numa enxada e preparar uma linda horta ou pomar; sabemos também como acomodar cimento e tijolos para erguer uma edificação. Sabemos como lidar com os utensílios de uma cozinha para alimentar e satisfazer. E temos consciência de absolutamente tudo aquilo que se passa do lado de fora de nosso Expresso.


E é exatamente todo esse conhecimento, todas essas experiências, todos esses testes coroados de aprovação ou reprovação que nos fizeram escolher pela via mais sensata e tranquila.


Coisas sérias da vida existem? Claro! E a mais fundamental delas é a alegria interior!


Queremos? Então é nosso foco bem posicionado naquilo que queremos que fará o trabalho pesado!


Desejamos? Então sabemos como fazer vir pela via do menor esforço!


Policiamo-nos emocionalmente? Ah, sim! Policiamo-nos o tempo todo, pois disso depende nosso mais delicioso viver sem precisar calejar as mãos em enxadas, ou sujá-las com cimento.


Optamos, apenas optamos por um tipo de vida que vai no embalo gostoso daquilo que dita nosso Ser Interior: Sermos felizes e curtirmos a vida! É pra isso e exclusivamente pra isso que viemos pro Mundo! Pra Arrastarmos garbosos em nossa direção tudo aquilo que desejarmos!


A foto que ilustra esta publicação eu fiz com o celular no último domingo, às 6h51min, em Torres. Curto captar a saída do Sol de dentro do mar. Momentos mágicos meus que trago pra vocês.


Tim – tim!