A PACIÊNCIA NOS AJUDA A TOMAR, DECISÔES MELHORES

Paciencia
Era madrugada. Minha filha, Ana, de dois anos, estava com muita febre. 

Tínhamos lhe dado um antitérmico e a colocamos para dormir entre nós dois. Meia hora mais tarde, ela acordou chorando. 

Entrei em pânico e, aos gritos, mandei meu marido correr para o banheiro (cerca de cinco passos de distância) e pegar o termômetro.

 Don foi e voltou calmamente, e com tranqüilidade verificou a temperatura de nossa filha.

Não tinha subido, mas a minha tinha - eu estava furiosa!

Assim que Ana adormeceu de novo, estourei com ele.

- Não posso acreditar que você tenha andado tão devagar.

Era uma emergência! Você não conseguiria se apressar nem mesmo se a sua vicia ou a de sua filha dependesse disso!

Com serenidade, ele respondeu:

- Ela estava histérica, e você, apavorada. 

Achei que a melhor coisa a fazer era permanecer o mais calmo possível. 

Correr não me teria feito apanhar o termômetro mais depressa, e só ia aumentar a agitação. 
Agindo do jeito que agi, levei menos de um minuto.

Olhei para ele. Estava calmo, concentrado. Meu coração tinha disparado, eu suava e sentia vontade de chorar.
 Mas deu para perceber que naquele momento Don tinha muito mais condições para lidar com uma emergência. Eu sabia que em uma crise é muito melhor manter a calma do que correr de um lado para o outro em pânico. 
Com agitação e histeria, os sentimentos bloqueiam a parte racional do cérebro capaz de tomar decisões sensatas.

Se eu não tivesse entrado em pânico e conseguisse manter a calma, teria podido decidir se seria melhor levar Ana para um
hospital ou ajudá-la a dormir de novo.
 Em vez de esperar sessenta segundos para constatar os fatos - a temperatura dela não tinha subido eu disse a mim mesma que algo terrível estava acontecendo e disparei o meu botão interior de pânico.

A paciência nos ajuda a tomar decisões melhores porque nos mantém longe das histórias amedrontadoras que prejudicam nosso
julgamento.
 As piores e mais apavorantes fantasias invadem nossa mente, causando tensão e pânico ante uma situação imaginária.

É impossível fazer uma escolha adequada nesse estado.

Se tivermos paciência, enfrentaremos a vida da seguinte maneira: algo está acontecendo, e o resultado tanto pode ser ruim quanto bom. 
De qualquer forma, o importante é saber lidar com ele. Ficar nervoso ou estressado prejudicará nossa ação. 
Como disse Mark Twain: "Os piores problemas que tive em minha vida foram aqueles que nunca aconteceram."

Desperdicei uma grande quantidade de tempo e energia me preocupando com coisas que nunca chegaram a acontecer, só porque não tive paciência para ver como elas seriam de fato.
 Por isso, foi um grande alívio descobrir que quanto mais eu exercito a paciência, mais calma me sinto.
 E quanto mais calma me sinto, melhor posso avaliar uma situação antes de me inquietar e entrar em pânico.

Se a prática da paciência não me trouxer outra recompensa além da capacidade de tomar decisões melhores, especialmente em uma crise, ela já terá valido a pena.

O PODER DA PACIÊNCIA
M.J.RYAN

Postar um comentário

0 Comentários