LIBERTAÇÃO DOS NERVOSISMOS - 8 º DIA


Ponho agora a minha mente em repouso.
Respiro profundamente diversas vezes e sinto que, a cada respiração, estou me tornando mais e mais calmo.
Respiro de novo e sinto que o ar quente dos pulmões está aliviando os meus nervos.
Sinto-me solto.Mais solto. Mais solto.
As tensões estão se afrouxando.
Concentro-me mais ainda na respiração.
Concentro-me agora no meu corpo: quais as partes mais tensas? Solto aqui as tensões de cada parte.
Concentro-me na mente. Estou acalmando este enxame de abelhas que está zoando na minha cabeça
Acalmando mais e mais.
Solto agora todas as abelhas dos emus nervosismos. Minha mente silenciou.
Sinto o silencio de mim mesmo.
Não eram os nervos os culpados pelo meu nervosismo, mas, sim, minhas emoções negativas, meus pensamentos e sentimentos negativos.
Meus nervos, até hoje, levaram a culpa, sem culpa
Porque eu fico nervoso?
Quando eu desejo um mundo de coisas e não as tenho, fico nervoso; 
quando eu desejo ser de um jeito em não sou.
quando eu quero que os outros sejam de uma forma e não são, fico nervoso...Na verdade sou eu que estou gerando essas aflições na mente. Não são os nervos que estão me perturbando, sou eu que estou perturbando os nervos.
Mas, agora, percebo claramente que,se é a mente que produz o nervosismo, a mente cura o nervosismo.
Desejo que a calma e a paz estejam em mim.
Acredito que o Poder Divino tudo me alcança no tempo devido, por isso mantenho-me sempre calmo, confiante, positivo e despreocupado.
Sei que a terra - como dizia o Mestre - pertence aos calmos
"Bem - aventurados os calmos,l porque eles possuirão a terra."
Este é meu dia de calma.
E a minha calma me dá também o reino dos céus
Proclamo a minha calma definitiva.
Pelo poder da palavra, determino: Faça-se a calma em mim.
E a calma se fez em mim. Aqui.Agora. E sempre Sempre

O PODER INTERIOR - LAURO TREVISAN







Postar um comentário

0 Comentários